Crato poderá ter primeiro sitio urbano



Frutas, sombra, clima agradável, canto dos pássaros e uma nova forma de pensar a cidade é possível, o exemplo vem da comunidade do Gesso, no Crato. Nas margens da linha  férrea já foram plantadas uma diversidade de frutas, algumas já estão florando e outras já deram frutos.

Cajá –manga, acerola, pitanga, cajú, limão, laranja, tangerina, graviola, noni, amora, manga, abacate, tamarindo, pinha e romã são algumas da diversidade de árvores já plantadas.

Os moradores vêm cuidando diariamente das plantas frutíferas, adubando, colocando cobertura morta, podando e aguando.

O trabalho teve início em 2016, através de uma parceria entre ONG Nova Vida, ONG Verde Vida, Coletivo Camaradas e Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Territorial com a criação do “Cinturão Verde”.  Depois outras entidades fortaleceram a ideia como é o caso da Sociedade de Água e Esgoto do Crato – SAAEC, Espaço Casa Tempo, Geopark Araripe,  Museu e Escola de Artes Raimunda de Canena e o brincante da Carroça de Mamulengos  e ambientalista Carlos Gomide.

A comunidade poderá se tornar o primeiro sítio urbano da cidade, essa experiência já desperta o interesse de gestores públicos, ambientalistas e urbanistas que ver a experiência como exitosa.

O Prefeito do Crato, José Ailton Brasil recebeu documento assinado pelos moradores em 2018, com uma série de reivindicações que apontam para uma urbanização social que garanta arborização frutífera, espaços de convivência e práticas comunitárias, pavimentação, preservação do espaço da ludicidade e mecanismo integração, acessibilidade e mobilidade urbana, dentre outras reivindicações.

Estudantes dos cursos de Arquitetura e Urbanismo de universidades particulares já consideram a localidade como área de estudo e já vem realizando algumas pesquisas e propostas de intervenções.  
O plantio de arvores frutíferas no espaço urbano é uma é uma forma de devolver a população o que foi afastado da cidade e ao mesmo tempo atua como instrumento de solidariedade, auto-organização comunitária, prevenção de doenças e promoção de hábitos alimentares saudáveis.

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário